domingo, 6 de outubro de 2013

As barcaças da Ilha


As barcaças

Velas brancas que a brisa enfuna e empurra
De portos em portos a navegar
Bordejando se o vento lhe é contrário
Singrando as águas desse velho mar

As barcaças. Que lindo panorama
Já não existem. Que saudades trazem
Como era lindo em dias de festas
Todos no porto. Tanta falta fazem...

Bom Conselho, Beatriz, Utilidade
Nova Cruz, Berenice e Sultana
Velhas barcaças que na sua lida
Transportavam açúcar de Goiana

Os barcaceiros independentes livres
O mestre, o contramestre e os proeiros
Hoje velhos, tristonhos e saudosos
Recordam a vida e os velhos companheiros

Hoje olho a praia. Procuro ver algo
Não diviso as velas. Já não há mais graça
Tudo é tristeza e solidão no mar
Pois não existe nenhuma barcaça.

José Lopes

Um comentário:

Suzane Weck disse...

Ola,bela a poesia ,e muito lindo teu blog.Meu abraço.SU

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...