sexta-feira, 5 de julho de 2013

A Lia da Ciranda

 
Como foi que tudo aconteceu? Eis a história.
 
Lia, Maria ou Madalena - como queiram os leitores - fez-se amiga intima de Teca e passou a segui-la nas suas saídas noturnas em busca de "inspiração". Uma tarde, um final de tarde, na beira da praia, a noite já se insinuando. Teca feria o violão desligada do mundo. Ao seu lado, a escurinha cutucava a areia com um graveto. Num gesto de abandono, começou a solfejar a música da famosa ciranda, sem dar conta do espanto de Teca, que voltava a si num sobressalto.
Onde você aprendeu isso, menina?
Lia abriu os dentes, com naturalidade, e respondeu muito faceira:
- Ora, dona Teca, aprendi por aí... Acho que foi nos cocos e nas cirandas que eu sempre vou espiar.
- Pois essa música é muito bacana e eu vou botar letra nisso. Será uma ciranda em sua homenagem, Lia...
E Lia fez um ar de orgulho, tornou a mostrar os dentes brancos num riso brejeiro e continuou a cantiga. Logo cantarolava a música que deu origem ao segundo verso. Teca, entusiasmada, já acompanhava no violão. Parou bruscamente e disse com euforia: - Lia, minha nêga, essa musiquinha é um amor...
Em menos de dois dias estava pronta a ciranda, com letra de Teca e "pesquisa musical" de Maria Madalena Correia do Nascimento:
 
"Esta ciranda / quem me deu foi Lia / que mora na ilha de Itamaracá /.
Estávamos na beira da praia / ouvindo as pancadas / das ondas do mar..." 
 
Bem, esta é a história de Lia. Teca poderia confirmá-la ou desmenti-la. Mas Teca se mudou para o sul, depois de algumas apresentações nas televisões locais e de se envolver com algo que as autoridades costumam chamar de "filosofia exótica".
Só que Lia tem Teca e o céu por testemunhas...
 
(História e Segredos de Uma Ilha, José Lopes.)
 

2 comentários:

Misturação - Ana Karla disse...

Que delícia de história.
Cresci ouvindo essa música.
Xeros

✿ chica disse...

Linda história!! Vim deixar um beijo,chica

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...