quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

As Jangadas


Tudo é paz e sossego. Que beleza
Que lindo espetáculo é este mar
Que maravilha, que madrugada bela
Podemos ver em Itamaracá

As jangadinhas na rotina partem
Dia após dia, na lida a pescar
Enfunam as velas, singram o mar sereno
Da linda praia de Itamaracá

E, à tardinha, quando o sol se esconde
Ao longe surgem em demanda do lar
São os jangadeiros, homens bons e amigos
Que habitam a praia de Itamaracá
    (José Lopes)

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Ciranda da Lia


"Estava na beira da praia / ouvindo as pancadas das ondas do mar...". Este verso é cantarolado em todo o Brasil, já com algumas versões para outras línguas. Realmente, a Ciranda de Lia é hoje um dos maiores veículos de divulgação do folclore de Itamaracá e, por extensão, do Nordeste brasileiro.



Trata-se, inegavelmente, de um ritmo cadenciado, ao sabor mesmo da evolução das pancadas das ondas do mar. Pelo menos das águas do mar de Itamaracá. "Esta ciranda quem me deu foi Lia que mora na Ilha de Itamaracá". Não só a ciranda. Outros ritmos, como o coco-de-roda, sereno-de-forró e pastoris, são igualmente cultivados pelos habitantes da Ilha, que preservam, assim, as tradições musicais, o que há de mais genuíno das gentes que habitam a faixada litorânea do Nordeste. 
(Historias e Segredos de uma Ilha, José Lopes. FUNDARPE/1987.  Fotos do Facebook)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...